Pular para o conteúdo principal

Celular atrapalha a produtividade


É o que diz a pesquisa do CareerBuilder, site americano de carreiras. Mais de 55% dos gestores acreditam que o celular é o maior culpado pela falta de produtividade.

Cerca de 83% dos trabalhadores têm smartphone e 82% ficam de olho no aparelho durante o expediente. Contudo, apenas 10% dos funcionários concordam que ele pode atrapalhar a produtividade.

“Nós precisamos ficar conectados para trabalhar, mas também estamos a um clique de distrações sedutoras da nossa vida pessoal, como mídias sociais e outros aplicativos”, afirma Rosemary Haefner, diretora de recursos humanos do CareerBuilder.
“A conectividade não é necessariamente ruim, mas ela precisa ser gerenciada. Ter um diálogo aberto com os empregados sobre distrações tecnológicas, reconhecer sua existência e discutir desafios são algumas soluções para manter a produtividade”, completa a executiva.
Três em cada quatro empregadores (75%) disseram que duas ou mais horas do dia são perdidas porque os trabalhadores estão distraídos; 43% disseram que pelo menos três horas do dia são perdidas.
Entre as principais consequências da falta de produtividade estão: comprometimento da qualidade do trabalho (48%), baixa moral porque outros funcionários precisam fazer o trabalho que não foi feito (38%), impacto negativo na relação patrão/empregado (28%), prazos não cumpridos (27%), perda de receita (26%) e impacto negativo na relação com o cliente (20%).
Cerca de 76% dos empregadores tomaram atitudes para acabar com os problemas de produtividade, como bloqueio de determinados sites da internet (32%), proibir chamadas pessoais ou uso do celular (26%), horário de almoço e lanche controlados (24%), monitoramento de e-mails (19%), entre outros.
A pesquisa foi feita nos Estados Unidos com 2.186 gerentes de contratação e profissionais de recursos humanos em todos os setores e com 3.031 trabalhadores com mais de 18 anos.
E você, concorda com pesquisa? 



Conecte-se para encontrar e ser encontrado. Conheça www.karreira.com


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.    

10 tipos de funcionários

10 tipos de funcionários difíceis e como gerenciá-los A principal tarefa de um gestor é lidar com pessoas de todo o tipo e nem sempre isso é fácil. O site Inc.com fez uma lista dos dez tipos de colaboradores mais difíceis, com conselhos de como gerenciá-los da melhor maneira.  1- O competitivo Não importa quanto esforço seja necessário, quantas horas trabalhadas, quantas ideias roubadas, quantas pessoas machucadas pelo caminho, o competitivo não vai parar de seguir a meta de vencer até que esteja completamente convencido disso e, principalmente, até que consiga comprovar que alguém perdeu. Como lidar: Tire o foco dele e coloque no time para que ele possa entender que o que vale é o trabalho em equipe. Se for possível dar um incentivo prático para isso, por meio de algum tipo de premiação, melhor ainda. Ele fará de tudo para todos conquistarem o melhor e não apenas ele mesmo, e terá que dividir a glória por isso. 2- O indeciso Ele le