Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março 22, 2013

Trabalhar mais de oito horas aumenta risco de morte

Pesquisadores do Instituto Finlandês de Saúde Ocupacional avaliaram os resultados de diversos estudos realizados nos últimos 50 anos e descobriram que trabalhar por muito tempo pode aumentar de 40 a 80% as chances de uma doença no coração. Os resultados da pesquisa foram publicados no American Journal of Epidemiology e revelaram que a combinação de estresse, pressão sanguínea elevada, dietas não saudáveis e um expediente muito longo podem ser a causa de centenas de doenças graves em profissionais. Foram avaliados dados de 12 pesquisas feitas desde 1958, quando pela primeira vez cientistas começaram a relacionar doenças cardiovasculares com muitas horas de trabalho. No total, participaram cerca de 22 mil pessoas provenientes da Inglaterra, Estados Unidos, Japão, Finlândia, Dinamarca, Suécia e Holanda. As descobertas confirmam um estudo inglês feito em 2011, que revelou que mais de 11 horas de trabalho aumenta em 67% o risco de doenças no coração.   Fonte: InfoMoney 

Fevereiro tem crescimento no número de empregos

O mercado de trabalho brasileiro gerou em fevereiro 123.446 postos formais de trabalho, um aumento de 0,31% em relação ao estoque do mês anterior. Esse crescimento é resultado da geração de 1.777.411 admissões contra 1.650.965 desligamentos ocorridos no mês. Segundo avaliação técnica, esse resultado, comparativamente aos obtidos nos últimos meses, apresenta-se mais próximo da média. Segundo o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, essa expansão pode indicar uma reação do mercado de trabalho, acenando para um cenário positivo no ano. No acumulado do ano, o emprego cresceu 0,43%, um acréscimo de 170.612 novos postos de trabalho, sendo que nos últimos 12 meses esse patamar alcançou 1.116.340 novas vagas, uma expansão de 2,89% no número de empregos CLT no país. Setores A maior geração foi verificada no setor de serviços, com 82.061 (+0,51%), acompanhada da indústria, com 33.466 (+41%), e construção civil, que gerou 15.636 (+0,50%). Em termos geográficos, a expansã