Pular para o conteúdo principal

Dinheiro é importante pra você ser feliz?


Para tentar desvendar o significado de felicidade no trabalho o Ateliê de Pesquisa Organizacional divulgou um estudo inédito!

78% dos profissionais dizem que o dinheiro é importante SIM para ser feliz no trabalho

O tema felicidade no trabalho é a bola da vez no mundo corporativo. Muitas pesquisas têm sido feitas para lançar algum entendimento sobre o assunto que, por ser uma novidade, é bastante abstrato e até cercado de muito romantismo. Isso ocorre porque o assunto é de grande complexidade e invariavelmente é incluído entre os conceitos e melhores práticas de RH, como clima organizacional, engajamento e política de retenção de talentos profissionais.

As abordagens foram qualitativas (quatro grupos de discussão) e quantitativas (200 entrevistas), gestores e não gestores de companhias estabelecidas em São Paulo e no Rio de Janeiro responderam e indicaram o entendimento e a experiência que possuem da própria felicidade no trabalho. 

O propósito central do estudo foi conhecer e abordar, de forma dinâmica e profunda, como esses profissionais percebem e caracterizam a condição de felicidade nas empresas em que trabalham.

Felicidade em relação ao trabalho
  • Para 78%, o dinheiro é um fator que se sobrepõe a todos os outros
  • Para 79% dos entrevistados, eles estão felizes ou muito felizes em relação ao trabalho
  • 7% consideram-se infelizes ou muito infelizes
  • Para 46%, eles são os responsáveis e não a empresa pela própria felicidade no trabalho


Mulheres X homens
  • Entre as mulheres, 84% consideram-se felizes ou muito felizes em relação ao trabalho
  • Entre os homens, 75% consideram-se felizes ou muito felizes em relação ao trabalho


Excesso de trabalho
  • Trabalhar é importante para o crescimento pessoal e profissional, disseram 45% dos entrevistados; 44% disseram que trabalham para sentir-se realizado
  • Para 57%, trabalhar mais de 8 horas por dia é motivo de satisfação Apenas 17% responderam que trabalhar além do horário é motivo de insatisfação


O que deixa feliz no trabalho
  • Para 49%, relacionar-se com pessoas é uma das situações que deixa feliz no trabalho Para 41%, trabalhar em equipe é a principal situação
  • Para 68%, quando estão felizes no trabalho, sentem-se motivados
  • Para 36% (60% deles do Rio de Janeiro), nada os deixa infelizes no trabalho
  • Para 48%, a infelicidade no trabalho traz o sentimento de desmotivação


Saúde
A maioria dos entrevistados (63%), não tive qualquer problema de saúde nos últimos meses,mas 37% deles apontaram estar sofrendo de dor de cabeça (43%), cansaço exagerado (25%) e dor de estômago (18%), entre outros adoecimentos

Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas  




Leia também:


5 dicas para ser mais feliz no trabalho hoje






Fique por dentro das DICAS sobre  mercado de TRABALHO e VAGAS de emprego CURTA  no facebook e siga no twitter @karreiracom 








Referência: Jornal Zero Hora - ZH 
Imagem: Google 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc

5 casos bizarros de infantilidade no ambiente de trabalho

A máxima “não sabe brincar, não desça para o playground” parece servir para alguns adultos com síndrome de Peter Pan no mundo corporativo. Pesquisa realizada pelo Career Builder com 5 mil profissionais mostra que de 3 a cada 4 já presenciaram comportamentos dignos de um jardim de infância no escritório. 1. O dono da birra Dono da empresa costumava fazer birra, gritar e bater portas quando as coisas não caminhavam do jeito que ele queria. 2. Esconde-esconde Funcionário se escondia na empresa para fugir de deveres e obrigações do expediente 3. Armação ilimitada Funcionário armou uma cilada com o objetivo de colocar um colega de trabalho em apuros. Este tipo de comportamento também aparece na lista das puxadas de tapetes mais comuns no ambiente de trabalho. 4. O comilão Funcionário tinha por hábito atacar a comida alheia que estava na geladeira da empresa e deixar colegas de barriga vazia durante o expediente. 5. Almoço eterno Funcionário sa