Pular para o conteúdo principal

Rotatividade de funcionários deve aumentar em 2014

Taxas de turnover serão maiores nos países com melhores perspectivas. O crescimento mundial esperado é de 12,9% em relação a 2012.
Estudo realizado pela consultoria global de gestão de negócios Hay Group em parceria com o Centre for Economics and Business Research (CEBR) revela que as empresas globais enfrentarão um crescente êxodo de talentos, como resultado do crescimento econômico que aumenta as oportunidades de emprego. A pesquisa mostra também que, após estabilidade nos últimos anos, a rotatividade de funcionários deve acelerar em 2014. O crescimento mundial esperado é de 12,9% em relação a 2012, representando 161,7 milhões de trabalhadores trocando de empresa.
Essa tendência deve continuar nos próximos cinco anos, período em que as taxas de rotatividade de funcionários estão previstas para aumentar entre 20,6 e 23,4%, chegando a um número global de 192 milhões de partidas em 2018.

Migração em massa
O estudo revela que as taxas médias de turnover esperadas serão maiores nos países com perspectivas de mercado melhores, já que os mercados emergentes continuarão a apresentar novas oportunidades de emprego para os trabalhadores. Já nos países europeus, o impacto da crise irá retardar o movimento.
Neste ano, a Ásia e o Pacífico irão apresentar os maiores aumentos nos níveis de rotatividade de funcionários, pois o crescimento do emprego e a criação de riqueza continuam movimentando o mercado. Até 2015, a previsão de crescimento do turnover na região passará de 21,5% para 25,5%.
Na América Latina os picos de crescimento estão programados para 2013 e 2016, puxados pelos investimentos em infraestrutura para os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo. Na América do Norte as saídas devem chegar a 36,7 milhões em 2018.
O movimento dos trabalhadores europeus será o mais lento com pico de 28,7% programado para 2016. Na região sul, como a Itália, não se espera crescimento antes de 2018.


Karla Aprato - Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas




#FicaDica: 

Fique por dentro das DICAS sobre  mercado de TRABALHO e VAGAS de emprego CURTA  no facebook e siga no twitter @karreiracom 




Fonte: G1
Imagem: Google

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.