Pular para o conteúdo principal

Projeto proíbe anúncio de vagas sem identificação


As empresas poderão ser proibidas de publicarem ofertas de empregos sem a menção de sua razão social ou nome fantasia no anúncio em questão. A proposta faz parte do Projeto de Lei do Senado (PLS) 391/03 e obriga as organizações a mencionarem informações como o número de vagas disponíveis, o cargo, bem como o próprio endereço e a área de atuação.
A medida, de autoria do senador Paulo Paim (PT-RS), já foi aprovada na CCJ (Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania) e segue agora para a CAS (Comissão de Assuntos Sociais), onde poderá ser votada em decisão terminativa na quarta-feira (19).

Negociação aberta
Com o projeto, a expectativa é que as ofertas de emprego sejam mais claras e que possam garantir a integridade dos trabalhadores. Afinal, na opinião de Paim, se por um lado este procedimento protege a empresa de eventuais problemas provocados pelo assédio de grande número de interessados, por outro, esconde muitas vezes negócios escusos.
“Aqueles que enviam documentação para se candidatar ao emprego ficam à mercê de pessoas inescrupulosas que podem, inclusive, utilizar informações de cunho pessoal para outros propósitos sem sua devida anuência", argumenta o senador, de acordo com a Agência Senado.

Na justificativa do projeto, Paim afirma que, na maioria das vezes, a publicação de classificados em jornais de grande circulação é feita sem a informação do nome da empresa contratante e, em muitos casos, apenas o número da caixa postal é indicado, eliminando qualquer possibilidade de identificação da origem dos empregos oferecidos.

Fonte: InfoMoney






Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas








Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados. 




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.    

10 tipos de funcionários

10 tipos de funcionários difíceis e como gerenciá-los A principal tarefa de um gestor é lidar com pessoas de todo o tipo e nem sempre isso é fácil. O site Inc.com fez uma lista dos dez tipos de colaboradores mais difíceis, com conselhos de como gerenciá-los da melhor maneira.  1- O competitivo Não importa quanto esforço seja necessário, quantas horas trabalhadas, quantas ideias roubadas, quantas pessoas machucadas pelo caminho, o competitivo não vai parar de seguir a meta de vencer até que esteja completamente convencido disso e, principalmente, até que consiga comprovar que alguém perdeu. Como lidar: Tire o foco dele e coloque no time para que ele possa entender que o que vale é o trabalho em equipe. Se for possível dar um incentivo prático para isso, por meio de algum tipo de premiação, melhor ainda. Ele fará de tudo para todos conquistarem o melhor e não apenas ele mesmo, e terá que dividir a glória por isso. 2- O indeciso Ele le