Pular para o conteúdo principal

Pôquer nas empresas


Jogo de cartas mais popular do mundo sintetiza estratégias do mundo corporativo e traz importantes ensinamentos.
O professor universitário, palestrante e profissional de treinamentos organizacionais William Shibuya tornou-se um especialista na associação do jogo com o mundo dos negócios. 

Segundo Shibuya avaliação constante de risco e retorno no longo prazo, análise do ambiente competitivo, tomada de decisão com informações parciais, plano de comunicação e inteligência emocional. Todas essas características estão nas mesas de pôquer, de maneira integrada e ampla.

O pôquer também contribui para exercitar as habilidades estratégicas de forma intensiva ao aplicá-las a um plano, descobrindo erros e se ajustando à realidade. “Você pode abandonar a mão, continuar do jeito que está ou aumentar a aposta. Os jogadores qualificados não investem em situações em que o ganho esperado ou o risco não compensa, mas agem agressivamente quando o cenário é favorável”, exemplifica.

Exemplos clássicos da utilização do pôquer em diversas áreas: 
  • Líderes militares da Guerra Civil Americana (1861-1865), Robert Edward Lee e Nathan Bedford Forrest exploravam táticas do jogo para vencer adversários em inferioridade ou forçar a rendição usando o blefe.
  • O plano de recuperação econômica lançado após o crash na Bolsa de Valores em 1929 foi batizado como New Deal, expressão que representa a redistribuição das cartas no pôquer, o que renova as esperanças dos perdedores.
  • O caminho do presidente do norte-americano Barack Obama até a Casa Branca teria começado em sessões semanais de pôquer no estado de Illinois, ao lado de democratas e republicanos, como forma de quebrar resistências entre os políticos locais.
  • O CEO da Microsoft, Steve Ballmer, revelou que o plano de negócios da gigante da informática foi concebido em noitadas de pôquer ao lado de um colega de faculdade, Bill Gates.
Shibuya observa que, no pôquer, o status tem seu valor, mas o que conta é o desempenho financeiro e o gerenciamento de risco. “A Microsoft nunca almejou inovação e riscos, como a Apple, mas acumula uma história de grandes resultados financeiros”, compara. 

Referência: HSM 


Karla Aprato Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas
 
#FICADICA 
 10 mandamentos do pôquer

  1. Sempre há risco; a questão é qual assumir.
  2. Quanto mais informações, menor o risco.
  3. Apostar mais do que deveria para ter o mesmo retorno é ineficiência.
  4. Deixou de ganhar quando poderia, perdeu dinheiro.
  5. Analise o ambiente. Identifique os competidores, as ameaças e as vítimas.
  6. Entenda a missão e o perfil de cada jogador: ele pode ser um cliente ou parceiro.
  7. Vislumbre os cenários possíveis e avalie suas consequências.
  8. Você sempre estará em busca de novas informações.
  9. Entenda e se interesse pelas pessoas que estão jogando com você. Mas pratique o autoconhecimento, entendendo qual a sua situação em cada cenário do jogo.
  10. Comunicação envolve gestos, entonação, ação, vestimenta e linguagem corporal.


Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados. 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc

5 casos bizarros de infantilidade no ambiente de trabalho

A máxima “não sabe brincar, não desça para o playground” parece servir para alguns adultos com síndrome de Peter Pan no mundo corporativo. Pesquisa realizada pelo Career Builder com 5 mil profissionais mostra que de 3 a cada 4 já presenciaram comportamentos dignos de um jardim de infância no escritório. 1. O dono da birra Dono da empresa costumava fazer birra, gritar e bater portas quando as coisas não caminhavam do jeito que ele queria. 2. Esconde-esconde Funcionário se escondia na empresa para fugir de deveres e obrigações do expediente 3. Armação ilimitada Funcionário armou uma cilada com o objetivo de colocar um colega de trabalho em apuros. Este tipo de comportamento também aparece na lista das puxadas de tapetes mais comuns no ambiente de trabalho. 4. O comilão Funcionário tinha por hábito atacar a comida alheia que estava na geladeira da empresa e deixar colegas de barriga vazia durante o expediente. 5. Almoço eterno Funcionário sa