Pular para o conteúdo principal

VAGAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA


VAGAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA CRESCEM 3,6% NO BRASIL 

Dados do Ministério do Trabalho, relativos ao segundo quadrimestre de 2011, mostram que, no período, houve 9,7% mais vagas formais para essa categoria de profissionais do que no mesmo período de 2010. No saldo anual de 2011, o crescimento foi de 3,6% em relação ao ano anterior. Os números do mercado também confirmam a tendência: segundo o site Vagas.com, o número de postos de trabalho para pessoas com deficiência aumentou 53%, na iniciativa privada, no último ano.

Esse aumento reflete uma mudança no mercado de trabalho, a expectativa é de que as contratações de 2012 dobrem no país em relação a 2011. Visto que os empresários estão aos poucos percebendo que existem muitas pessoas com deficiência qualificadas, e isso é um avanço. Apesar da maioria das vagas serem destinadas a pessoas que não tem nível superior, e por isso os cargos operacionais como de atendente de call center, operador de máquinas e vendedor do varejo são muito concorridos.

As empresas ainda não proporcionam chances ascensão e desenvolvimento desses profissionais, o que faz com que muitos deles fiquem insatisfeitos em pouco tempo.

De acordo com o Sr. Marcelo Vitoriano, gerente nacional de capacitação e inclusão da Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (AVAPE), apesar do aumento claro da contratação de pessoas com deficiência no país, alguns estados do país estão melhor que outros. Em São Paulo, por exemplo, a iniciativa privada cumpre 50% da cota (de 5%) de vagas destinadas a pessoas com deficiência. Já o Rio de Janeiro cumpre menos de 10%. Vitoriano afirma que um dos problemas do setor é que as empresas ainda não sabem bem fazer políticas de inclusão desses funcionários dentro do ambiente corporativo.
“É necessário que os empresários pensem num tipo de gestão de pessoas adequado a esses funcionários. Além disso, há empresários que reclamam que não contratam porque não encontram pessoas qualificadas. Mas isso também ocorre entre os que não têm deficiência. Então isso é um problema crônico do trabalhador brasileiro.” Sr. Marcelo Vitoriano, gerente nacional de capacitação e inclusão da Associação para Valorização de Pessoas com Deficiência (AVAPE).

Uma alternativa seria adaptar ou criar programas para ajudar na capacitação desses profissionais.

Referencia: O Globo


Clique e confira as vagas  para deficientes  









KarlaAprato – Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.    

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc