Pular para o conteúdo principal

Assédio Moral: O que é?

Conceito: Assédio moral no trabalho compreende toda exposição prolongada e repetitiva a situações humilhantes e constrangedoras no ambiente de trabalho. Essas humilhações se caracterizam por relações hierárquicas desumanas e autoritárias, onde a vítima é hostilizada e ridicularizada diante dos colegas e/ou isolada. 
Esse tipo de conduta pode vir a trazer muitos danos ao funcionário, forçando-o até mesmo a pedir demissão, além de desencadear problemas de saúde de ordem orgânica e psíquica, principalmente de natureza psicossomática  , de duração variável, que desestabiliza a vida do funcionário, tornando o ambiente de trabalho desagradável,insuportável e hostil.



A saúde é fundamental para o exercício das atividades e convívio social, inclusive no ambiente de trabalho. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estabelece que: Saúde é um estado completo de bem estar físico, mental e social, e não ausência de doença ou enfermidade.

Segundo levantamento da Organização Internacional do Trabalho (OIT) a violência moral no trabalho constitui um fenômeno internacional, o estudo foi feito com diversos países desenvolvidos (Finlândia, Alemanha, Reino Unido, Polônia e Estados Unidos) e aponta para distúrbios da saúde mental relacionado com as condições de trabalho. As perspectivas são sombrias e assustadoras para as próximas décadas.  Segundo a OIT e Organização Mundial da Saúde, as próximas décadas serão do “mal estar na globalização", onde predominará depressões, angústias e outros danos psíquicos, relacionados com as novas políticas de gestão na organização de trabalho.

Resumindo... um ato isolado de humilhação não é assédio moral, e SIM se  for:
  1. Repetição sistemática;
  2. Intencionalidade (forçar o outro a abrir mão do emprego);
  3. Direcionalidade (uma pessoa do grupo é escolhida como bode expiatório);
  4. Temporalidade (durante a jornada, por dias e meses);
  5. Degradação deliberada das condições de trabalho;



Quer seja um ato ou a repetição deste ato, é necessário AGIR firmemente pois, trata-se de uma violência psicológica, causando danos à saúde física e mental, não somente daquele que é excluído, mas de todo o coletivo que testemunha esses atos.


Karla Aprato Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas





#FICADICA









Referências:
FREITAS, M. E. Assédio moral e assédio sexual – faces do poder perverso nas organizações. 
FERREIRA, D. S. Assédio moral – relações desumanas nas organizações.
BARRETO, M. Uma jornada de humilhações. São Paulo: Fapesp; PUC, 2000.
Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.

Comentários

  1. E principalmente cobrar nossos Deputados Federais a aprovação do Projeto de Lei - PL4742/2001 que inclui Assédio Moral no Código Penal, tornando-o CRIME.

    Façamos nossa parte.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.    

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc