Pular para o conteúdo principal

ADAPTABILIDADE



O mundo vive em constante mutação, trazendo assim a evolução, mesmo que forçada, no contexto organizacional. O fenômeno da mudança resulta dessas contínuas transformações que se dão nos campos político, econômico, tecnológico e filosófico ou para atender melhor seu cliente, parceiros e funcionários. As organizações de hoje estão inseridas neste cenário extremamente dinâmico e turbulento que exige maior agilidade para adaptação. Mudar passou a ser a palavra de ordem para a vitalidade das organizações e para evoluir e “sobreviver” neste mutável mundo do mercado de trabalho é preciso muito mais do que um bom currículo.



É natural e necessário planejar, definir objetivos e metas a atingir, cursos e competências a serem adquiridas, responsabilidades que devem ser conquistadas na carreira, MAS...e se o cenário mudar? E se...

1- A empresa em que você trabalha é comprada por outra;
2- O projeto que você está se dedicando foi suspenso;
3- O chefe que te apóia foi substituído/demitido;
4- Você pode ser promovido, transferido de setor, de cargo, e/ou cidade

Daí... o planejamento vai para o espaço, pois as regras mudam, assim como a filosofia da empresa e as pessoas que te apoiavam;

O QUE FAZER?  ADAPTAR-SE!!

Adaptar-se ao novo cenário e partir para o plano “B”, “C” ou “D”...As regras mudaram, mas o “jogo” segue! Se não for possível seguir com o antigo planejamento, será imprescindível fazer ajustes para adequá-lo à nova realidade.  
É preciso ser flexível para manter-se e evoluir no mutável mundo do mercado de trabalho, além de ser fundamental  entender que:  "O que se espera pode não acontecer e o que não se espera certamente acontecerá",  por isso, que adaptabilidade é tão importante e preciosa. 

Adaptar-se é vital para evoluir tanto na vida profissional como na vida pessoal.


“...Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente Viu há um segundo 
Tudo muda o tempo todo No mundo...

Não adianta fugir
Nem mentir Pra si mesmo...”




 
#FICADICA!
 










Karla Aprato Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.    

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc