Pular para o conteúdo principal

CARREIRA: Congelei e agora?

Existem situações em que as coisas parecem se congelar. Nada anda, nada flui, e temos a sensação de que estamos no meio do oceano, num barco a vela sem vento algum que nos permita navegar.

O que fazer? Lamentar, reclamar e se fazer de vítima é o mais fácil, mas não vai ajudar em nada. 


Ao invés de ficar reclamando procure identificar: Qual o foco desse “congelamento”?
(  )  a empresa 
(  )  o cargo 
(  )  a carreira
(  )  todas as alternativas

Achando o foco fica fácil sair dessa situação!
1.     Identifique a fonte de seu “congelamento”;
2.    Quais são seus reais motivos para mudar de carreira/emprego?
3.    O que espera ganhar com essa mudança?



"O caminho para o sucesso é dobrar a taxa de erros”. Thomas Watson

Você pode articular os motivos descobertos nesta “analise” em suas entrevistas para um (novo) emprego, para não deixar a impressão de que está “fugindo” de alguma coisa.

Cada vez mais profissionais estão abandonando o emprego. 
A pergunta é: que caminho seguir?

 
A idéia de mudar de carreira/emprego é divertida e assustadora, mas se você souber  aonde quer chegar o caminho flui com maior leveza e os ventos voltam a soprar ao seu favor. Até porque navegar é preciso e motivado é melhor ainda, então não se intimide pelos desafios que aparecerão no processo de mudança de carreira. Lembre-se: que o medo é o sentimento mais limitante que existe, mas o autoconhecimento ajuda a identificá-lo e superá-lo, tenha foco! 
 
Crie uma estratégia, pesquise, identifique quais conhecimentos que serão necessários nessa nova carreira, converse com pessoas da área, construa uma nova rede de contatos no mercado em que deseja ingressar, mas não perca os antigos contatos.

"Duas coisas que aprendi são que você é tão poderoso e forte quanto você se permite ser, e que a parte mais difícil de qualquer empreendimento é dar o primeiro passo, tomar a primeira decisão." Robyn Davidson

Boa sorte!


Karla Aprato Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas




Leia também:   

8 em 10 pessoas consideram mudar de  emprego 2011 

Faça o Quiz Carreira 



Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Terceiro Setor: Características e Classificação

O Terceiro Setor apresenta uma complexidade de assuntos relevantes que podem se desdobrar em temas de diversas áreas do conhecimento, desde as ciências humanas até a aplicação da tecnologia da informação na estruturação das redes de entidades.  Características :  Os principais objetivos são sociais, em vez de econômicos; Não distribuem lucro a seus administradores e proprietários;  Possuem alto nível de voluntariado e participação da sociedade; As atividades e objetivos são decididas por seus membros; Organização: São organizadas formalmente; Possuem estrutura interna; Objetivos formais; Distinção entre sócios e não-sócios; A dministram as próprias atividades; Normalmente são regidas por um Conselho;    No Brasil as organizações do terceiro setor classificam como: Empreendimentos sem fins lucrativos Fundações empresariais Igrejas e instituições religiosas ONGs e movimentos sociais O Terceiro Setor, ao contrário de organizações d

Qualidade e defeitos de um bom líder

Segundo pesquisa a capacidade de inspirar pessoas é a principal qualidade de um bom líder. Um levantamento da consultoria Robert Half, realizado com 300 executivos brasileiros, identificou as três principais qualidades de um bom líder, que são:   Capacidade de inspirar outras pessoas  (com 43,4% das indicações)   Ser ético (42%)              Capacidade de tomar decisões (38,9%)      A pesquisa também apontou os maiores defeitos de um líder: Desequilíbrio emocional:  26,4% Arrogância:  19,3% Centralização: 16,4% #FICA A DICA!   Leia também: A essência de uma boa liderança Karla Aprato -  Especialista em Gestão Estratégica de Pessoas Para fins de direitos autorais de imagem declaro que a foto usada no post não é de minha autoria e que os autores não foram identificados.    

O que te atrai?

As possibilidades de desenvolvimento de carreira permanecem no topo da lista dos fatores que atraem profissionais para uma determinada empresa, e são consideradas mais importantes que um salário alto, com bons benefícios. Essa é a principal conclusão de uma pesquisa feita pelas consultorias LAB SSJ e Clave, realizada com 10 000 pessoas. De acordo com os entrevistados, as empresas mais atrativas são aquelas que oferecem os seguintes itens: 1- Perspectivas de carreira futura (13%) 2- Reconhecimento e valorização (11,5%) 3- Desenvolvimento de novas capacidades, cursos e treinamentos (10,3%) 4- Remuneração competitiva em relação ao mercado (6,9%) 5- Ótimos benefícios (6,7%) 6- Equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (5,8%) 7- Desafios e responsabilidades relevantes (5,4%) Com base na opinião dos pesquisados, o estudo também listou as organizações brasileiras que mais oferecem os fatores mencionados acima, a saber: 1- Petrobrás 2- Vale 3- Google 4- Coc